Águeda Mendes da Silva
Uma mulher comum que apesar de ter vivido bastante ainda não se cansou de sonhar .
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

Tempestade

A chuva caiu
Em tempestade feriu
Demais o meu EU.
Afogou o meu ser
Tudo em mim a doer,
Tudo em mim pereceu

Eu preciso seguir
Eu preciso atingir
O final dessa curva.
O sol não clareia
A minh'alma vagueia
No meio da chuva.

Levanto  meus olhos
Com  meu pranto a rolar
E peço ao Senhor:
Pra que um raio de sol
Venha do arrebol
Enxugar minha dor!

 
Águeda Mendes da Silva
Enviado por Águeda Mendes da Silva em 04/04/2018


Comentários